quarta-feira, 21 de abril de 2010

Liberdade ainda que tardia















         Vinte um de Abril, nós brasileiros reverenciamos os mártires mineiros que derramaram seus sangues num sonho de liberdade e independência do Brasil. Homens que tiveram um ideal de liberdade por ver o país ser sugado por Portugal. Porem foram traídos por um de seus membros.

          Certamente, esta é uma data histórica de um simbolismo de cidadania de grande proporção, pois, o sonho de liberdade deve ser uma busca constante de um povo, de uma sociedade. Enfim, de uma nação.

           Evidentemente, a liberdade somente pode ser conquistada quando uma nação atinge total autonomia, respeito e soberania. Também atinge a liberdade quando não se deixa ser induzida a ceder pressão internacional assinando contratos e acordos internacionais unilaterais ou coletivos que o torna refém das grandes nações, mais ainda, o que de fato impede a liberdade de uma nação é sua subserviência aos paises ricos pelo endividamento financeiro.

           Ainda é preciso dizer que a liberdade de uma nação somente é adquirida com o desenvolvimento de sua sociedade, e isto ocorre quando todo seu povo atinge a cidadania plena, isto é, adquire o direito de usufruir o que a Constituição Federal lhes garante como educação, saúde, moradia, segurança... Enquanto existir varias classes de cidadãos certamente esta liberdade tão sonhada ainda será uma utopia. É importante se ressaltar que todos os cidadãos pagam impostos independentes pobres e ricos, pois, em cada objeto comprado lá está uma proporção de impostos arrecadados que vão para os cofres públicos, sendo assim, todos devem usufruir e ter os direitos iguais sendo considerados cidadãos sem distinção.

          Finalizando o sonho de liberdade deve ser sempre perseguido e jamais o cidadão pode conformar com a realidade que vive. No mundo político como em outros vários mundos sempre haverá interesse de nações, grupos de pessoas que na busca de seus objetivos e interesses coletivos ou pessoais não se importarão de tirar ou diminuir a liberdade de uma nação ou mesmo de seu próprio povo.

Ataíde Lemos

Um comentário:

mirian disse...

Ataíde como sempre ja te disse vc é demais adoro tudo que vc diz que bom que pude ter algo de vc sempre acredite te admiro muito mesmo vc merce todas belas palavras saidas do coração bjos mirian