"Há dois modos de escrever. Um é escrever com a idéia de não desagradar ou chocar ninguém (...) Outro é dizer desassombradamente o que pensa, dê onde der, haja o que houver - cadeia, forca, exílio.


Monteiro Lobato


O primeiro método para estimar a inteligência de um governante é olhar para os homens que tem à sua volta.


Niccolo Maquiavel

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Uma Década de Catástrofes Ambientais e de Violência



    









          Difícil deixar de se emocionar com as tragédias ambientais e a violência que vem ocorrendo em todas as partes do mundo, inclusive no Brasil.

          O ano de dois e dez já iniciou deixando registrado na história duas grandes catástrofes ambientais; uma ocorreu no Brasil onde fortes chuvas vitimaram dezenas de pessoas em Angras dos Reis, e varias vitimas em outras localidades do Brasil. A outra catástrofe ocorreu no Haiti, segundo alguns dados, podem pode chegar a 200 mil o número de mortos. Um terremoto que causou grande comoção no mundo inteiro tanto pela intensidade do tremor de terra quanto pelo numero de mortos e feridos, e por fim, ter ocorrido num País extremamente pobre.

          Como se previa, não ocorreu, ou seja, o mundo não acabou em 2000, contrariando os profetas do holocausto, ou mesmo os fundamentalistas bíblicos, mas certamente após 2010 temos visto catástrofes e mais catástrofes tanto naturais como o da violência que tem dizimado grande parte da sociedade em diversos países.

           Então fica a pergunta: é o cumprimento da profecia? Para os que pensam mais com a razão que com a emoção; não. Para os intelectuais, os estudiosos o que está acontecendo sejam as catástrofes naturais como terremotos, tsuname e mesmo a violência entre os povos sempre ocorreram ao longo da história do mundo.

           Pois bem, profecia a parte, o fato é que estamos vivendo uma década de muitos desastres ambientais. Uma década onde a violência cada vez mais tem imperado entre os povos. Estamos vivendo um momento onde o mundo se aproximou, devido a globalização, onde a diplomacia tem sido a tonica na busca de conflitos entre países. Estamos vivendo uma era onde as nações se reúnem para discutir a miséria, procurando encontrar propostas, no entanto, a miséria cada vez está mais acentuada. Uma era onde se fala mais de paz, porém alguns paises sejam eles por seus lideres ou por legiões de terroristas espalham o medo por todos os continentes. Estamos vivendo uma era onde a pauta das discussões mundiais é a preocupação com o meio ambiente, no entanto, parece que ele (meio ambiente) anda revoltado e espalhando terror em todos os países.

          Muitos podem até questionar: “muita reunião e pouca resolução concreta”, mas um fato não se pode negar, se há tais Conferencias, etc. é um grande passo, pois no passado nada disto havia. Sendo assim, as Conferencias entre nações de pontos globais significa evolução da sociedade em relação à postura delas quanto às questões humanitária, ambientais, etc.

         Enfim, de tudo o que vem ocorrendo, duas coisas certamente devem provocar no homem reflexão: primeiro, a sociedade por meio de seus lideres políticos e religiosos, lideres sociais precisam agir mais e discursar menos transformando as divergências em convergências. Precisam deixar de lado as vaidades e ambições unindo-se na formatação de Tratados e Acordos mundiais visando à preservação do meio ambiente, erradicação da miséria bem como a diminuição da violência;
        
     Segundo; já que a grande maioria da sociedade mundial professa algum tipo de espiritualidade, estas catástrofes servem como alerta espiritual. Neste mundo, não somos donos de nada, as catástrofes ambientais, a violência matam pobres e ricos, ateus e espiritualistas. Enfim, como de todo mal se tira algum bem, certamente, as catástrofes devem tirar um bem, que é mudança de comportamento do homem em relação a vida como também a mudança de pensamento em relação ao ter ao prazer e ao poder.

Ataíde Lemos

Nenhum comentário: